[Poesia] Espelho, Espelho Meu

Crédito: Santiago Alvarez

Vivemos em uma sociedade plastificada
Que almeja sempre a perfeição
Revivendo a madrasta da Branca de Neve
E buscando no espelho aprovação

Afinal, outra novela estereotipada
Não pode fazer nenhum mal
Um padrão de beleza é democrático
Deixa toda mulher igual

Todas loiras e maquiadas
Todas magras e com silicone
Todas submissas e delicadas
Todas um degrau abaixo do homem

Mas essa sociedade que dita regras
E estabelece padrões alienantes
No fim traz apenas uma mensagem:
Mulheres reais não são interessantes

O que importa são unhas pintadas
Cintura fina e pouca opinião
O seu sentimento não nos interessa
Satisfazer esse ideal é sua obrigação

Então desista de alterar nosso espetáculo
E apenas fique quieta em sua poltrona
Os holofotes estão na atriz que atua
Não na plateia que questiona